sábado, 31 de março de 2012

Sangue Quente- Isaac Marion

Zumbi:

Aquele que volta a viver; Uma pessoa que é controlada mentalmente; Devorador de carne.

Tipo de zombies que aparecem no livro Sangue Quente:

Zumbi Clássico: O mais conhecido por todos é o Zumbi Clássico. Ele é um morto e acabou vivendo de alguma maneira. A sua mordida pode transformar outras pessoas em zumbi também, e possuem uma aparência cadavérica. Seus sentidos são diminuídos, com quase nenhuma voz, apenas gemidos roucos, visão fraca, sendo que muitos acreditam que eles enxergam em preto e branco, além de baixa audição, etc. Geralmente não são racionais, vivendo apenas por instinto e sua insaciável fome de carne, de preferência cérebro.

A forma de matá-los é bem prática, um simples tiro na cabeça. 

Zumbi Infectado: é um dos mais aceitos pelas pessoas atualmente. É uma pessoa normal que foi infectada e agora não consegue se controlar, mantendo suas necessidades básicas, como comer, defecar, etc. Algumas pessoas acreditam que eles sejam tão humanos que, além de se alimentar de apenas carne, pode se alimentar de quase tudo, mantendo a característica onívora e seus sentidos normalmente, sem nenhuma modificação óbvia.


Fonte das definições de zombies: http://www.zombies.com.br/forum/index.php?showtopic=2556

Breve Comentário ao livro Sangue Quente, escrito por Isaac Marion

O livro Sangue Quente, escrito por Isaac Marion, foi o primeiro livro que li sobre zombies.
Para mim a definição de zombies recaia apenas, numa pessoa ressuscitada com o corpo apodrecido, devorador de pessoas vivas, mas um zombie é mais que isso.

Ironias de ser zombie:

- não se lembrar de quem somos apenas lembrar-nos da primeiro letra do nosso nome;
- não conseguir sorrir mesmo que se esteja feliz;
-não saber ler...

É uma história cheia de emoções, ação, romance e algum humor. R um vulgar zombie devorador de pessoas, um dia devora Pery e quando um zombie devora o cerbro de uma pessoa acaba por ter acesso a todas as suas recordações. A partir desse dia R deixa de ser quem era para se tornar numa "coisa nova", salvando Julie de todos que a tentam atacar. Com esta mudança o mundo acaba por mudar já que os vivos estão em luta constante com zombies...

As Melhores partes do livro (excertos):

"Outras ironias de ser um morto-vivo apontadas por M: de crachas a jornais, as respostas para nossas perguntas estão escritas por todos os lados, mas não as conseguimos ler".

"Meu amigo M diz que ironia de ser zombie é que tudo é engraçado, mas você não consegue rir, pois seus lábios apodreceram."

"Ainda não vi nenhum de nós morrer de velhice."

"-Você mora num avião, R. Isso é muito bom, Sinto falta de ver os aviões no céu...
...Vou até ao toca discos. O LP do Sinatra ainda está ali, rodando, com a agulha no final sem nada para tocar, por isso a pego e coloco na faixa "Come Fly With Me". Julie sorri."

"Ofereço minha melhor tentativa de um sorriso vitorioso, esticando bem os lábios.
-Ah, meu Deus. Não faça mais isso definitivamente.
-Aja naturalmente- Nora diz."

"Era uma vez um conto de fada embolorado".

x_3c0fc15bAconselho a ler.







Sem comentários:

Enviar um comentário